16 de mar de 2017

Ressecamento localizado: aprenda a cuidar das partes do seu cabelo.

Já te fizeram a pergunta: "seu cabelo é oleoso ou ressecado?" e você ficou na dúvida? Pois bem, isso quer dizer que o seu cabelo tem partes ressecadas e partes oleosas e nesse post eu vou te ensinar maneiras de igualar e tornar o seu cabelo um tipo normal e muito bem tratado.
Os motivos de ter um cabelo misto são muitas, mas a principal dela são as químicas, como progressivas e descolorações.


Oleoso na raiz e ressecado nas pontas: Invista em umectação, ou seja, tratamento com oléos 100% vegetais. Passe o óleo apenas na parte onde está ressecada e deixe por, no mínimo, 2 horas. Para a raiz, procure shampoos mais transparentes, menos hidratantes. Mas não se esqueça que a aplicação não deve seguir para as pontas. O comprimento do cabelo se limpa facilmente com a espuma que escorre. 

Dentro normal e por cima ressecado: Esse é um tipo de cabelo muito comum em quem se expõe com frequência ao sol e faz exercícios físicos. O sol em contato direto com o cabelo resseca os fios e somado à poluição causa um grande estrago. Outro fator são os elásticos que usamos para prender o cabelo, que além de quebrar por estarem bem apertados, deixam a superfície de cima lisa e faz com que o sol atinja apenas essa região. Sem contar no suor que resseca ainda mais e atinge principalmente a parte de baixo e as laterais do cabelo.

A solução é investir em óleos finalizadores, geralmente minerais, que criam uma camada sobre o fio e impedem a incidência direta dos raios solares. Muitos não gostam, mas os bonés também ajudam bastante nesse mesmo sentido. Com relação ao suor não há muito o que fazer em se tratando de produtos, mas manter o cabelo em rabo de cavalo ou coque e ter sempre uma toalhinha impede que esse suor saia da raiz para o resto do cabelo.

Laterais ressecadas: Já parou pra pensar no atrito que a fronha do travesseiro pode fazer no seu cabelo durante a noite? Pessoas que se mexem muito durante o sono podem ter esse problema. Fronhas de cetim são perfeitas para esse caso e sai super em conta, além de não ser algo tão complexo se você mesma quiser fazer sozinha.

Franja ressecada: Quem tem cabelo cacheado e faz muito uso de secador e chapinha sofre com esse problema. Normalmente a franja, por ser a parte da frente do cabelo, é onde recebe mais calor e mais "passadas" desses aparelhos, o que faz com que ela danifique e resseque bem mais rápido que o restante. Eu posso sugerir uma dica mais radical, como: deixe seu cabelo natural, cachos são tudo de bom haha <3 mas, se você não pretende abandonar o cabelo liso, uma alternativa é dosar quantas vezes você está passando secador e chapinha em cada mecha. Se a franja ficar rebelde ao longo do dia, prenda com algum grampo, mas não coloque seu cabelo em risco. 

Entretanto, não é só quem usa secador e chapinha que sofre desse problema. Algumas pessoas até mesmo com o cabelo cacheado tem a lateral um pouco mais rebelde que o resto. Uma vez por semana pode ser feita a hidratação nessas áreas, mas fique atenta à frequência e assim que perceber que o cabelo está começando a ficar oleoso, dê uma pausa. 

Ressecado por dentro e normal por fora: Muito comum em quem usa extensões, sejam elas fixas com queratina ou de tic-tac. O ideal é dar um tempo entre uma manutenção e outra, sendo esse tempo com intensos tratamentos. Eu indico um mês de cronograma capilar seguido com atenção e tratamentos que comecem desde a raiz, para só assim fazer a aplicação do mega hair novamente. 
Quando essa pausa não acontece, é comum ver, após muito tempo usando alongamento, que o cabelo natural perde volume, fica muito quebradiço e com as pontas finas.

De toda forma, também não devemos descartar a possibilidade de o mesmo couro cabeludo ter tipos de fios diferentes em determinadas áreas. Exemplo disso é o fato de algumas pessoas com cabelos cacheados não saberem definir ao certo seu tipo de cabelo, já que em algumas áreas os cachos podem ser abertos e em outras mais fechados


*Dica de óleos 100% vegetais para umectação: óleo de coco, azeite de oliva extra virgem (sim, aquele mesmo que você tem na cozinha), óleo de argan, óleo de rícino, óleo de abacate e óleo de semente de uva. Esses são os mais populares, mas você podem encontrar outros no mercado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário